terça-feira, 29 de maio de 2007

O Linux vai ao Internet Banking

Guardião Internet 30 horas UnibancoO Unibanco adotou, a partir desta semana, um novo mecanismo de segurança para acesso ao seu Internet Banking. O problema, já mencionado pelo PSL Brasil, é que ele parece ser incompatível com o Linux.

Neste post eu comento o que me levou a abrir uma conta no Unibanco e uma forma de burlar o tal mecanismo e continuar acessando normalmente o sistema, a partir do bom e velho Linux.

O interessante é ressaltar que um dos seus concorrentes, o Banrisul, caminha na direção contrária. Ele também passou a exigir recentemente a instalação de um dispositivo adicional de segurança. Porém, essa exigência é destinada apenas a quem utiliza o Windows (qualquer versão dele), como escreveu o Dirceu Follmann, de forma bem humorada.

No início do ano passado recebi uma correspondência do Unibanco, nela estava escrito que eu havia sido selecionado para abrir um conta-corrente livre de taxas. O que já parecia suspeito, ficou ainda mais difícil de acreditar ao ler o segundo parágrafo, que afirmava que eles iriam fazer um depósito inicial de R$ 50,00 caso alguma despesa mensal (luz/telefone/...) fosse registrada como débito em conta.

Como o Unibanco já havia enviado dois cartões de crédito (Mastercard/Visa) sem anuidades para o resto da vida e com limite de R$ 3500,00, sem que eu precisasse fazer absolutamente nada, exceto aceitar, mas ainda com os dois pés atrás, decidi ir até a agência mais próxima. Falei com o pessoal de lá, li e reli o contrato. Acabei abrindo uma conta e cadastrei a fatura da companhia de energia elétrica como débito em conta.

Hoje, R$ 50,00 e quinze meses depois, ao tentar acessar o Internet Banking, me deparei com o que parecia inevitável. O tal do mecanismo de segurança precisa ser obrigatoriamente instalado. Caso ele não estiver instalado, a mesma tela exigindo a instalação é exibida.

Depois de tentar desinstalar e reinstalar o plugin no Firefox por meia dúzia de vezes eu já estava quase desistindo de tentar fazê-lo funcionar. Foi quando eu descobri o que acredito ser um pequeno descuido da equipe que implantou o novo mecanismo e que permite o uso normalmente, mesmo usando o Linux.

As instruções são as seguintes:

  • na tela que possui o botão 'Instalar', clique nele para disparar a instalação do plugin;
  • vai abrir uma nova janela, solicitando a confirmação da instalação do plugin no Firefox;
  • nessa tela, clique em 'Cancelar';
  • vai aparecer o selo que ilustra este post, onde está escrito 'Guardião Internet 30 horas não instalado';
  • ignore isso, daqui para frente o acesso funciona normalmente, ou seja, clique no seu nome, forneça a senha e faça o que você precisa fazer.

Não sei por quanto tempo essa forma alternativa de acesso estará funcionando, mas tudo indica que nem o próprio pessoal do Unibanco sabe disso ainda. Afinal, a recomendação oficial para resolver o problema é passar a usar o Windows... claro e na 'bunada não vai dinha'... ;-)

Atualização: o André já havia comentado que a dica funcionava apenas parcialmente, mas provavelmente em função das reclamações da comunidade Linux[1, 2, 3, 4], desde a última sexta-feira, dia 8 de junho, a instalação do tal dispositivo adicional de segurança não é mais necessário para quem acessa o Internet Banking pelo Linux. Ponto para nós... ;-)

2 comentários:

Dirceu disse...

Muito obrigado pela referência ao meu modesto diário (nem tão diário).

E boa dica, pro pessoal.

Pena que, depois de ler isso, provavelmente o pessoal do Unibanco vai atrás da correção.

André/decao@uol.com.br disse...

Sua dica funciona apenas para consulta, tipo saldo em conta corrente. Se quiser fazer qualquer operação de pagto ou transferência, não consegue. Estou disposto a cancelar minha conta, caso não haja uma solução. É um absurdo uma empresa do porte de um banco ter esta atitude.